O CURSO

Odontologia: é uma das áreas das Ciências da Saúde que se dedica ao estudo, prevenção e tratamento das alterações dentárias, da cavidade bucal e das estruturas anatômicas adjacentes. Atualmemente a profissão abre um amplo leque de possibilidades de atuação devido à interação entre as diversas áreas do conhecimento, não se restringindo basicamente ao atendimento clínico em consultório particular. A formação do Cirurgião Dentista tem alicerce nas ciências básicas, cujas discilplinas são oferecidas nos primeiros anos do curso. Com um embasamento conciso, o aluno parte para a parte específica do curso com formação teórica, laboratorial e clínica, e estará apto a resolver uma gama de situações clínicas corriqueiras. Caso deseje alçar outros rumos na carreira, o profissional egresso pode também trabalhar no serviço público, no serviço privado, na indústria, na academia, na pesquisa, abrindo muitas possibilidades com excelente remuneração.


Dados Gerais

Ato de Autorização: Portaria MEC nº 579 publicada no D.O.U, em 12/06/2017

Noturno - mínimo 10 semestres (05 anos) e máximo 20 semestres (10 anos).
Diurno - mínimo 08 semestres (04 anos) e máximo 16 semestres ( 8 anos).

Número de vagas: 90 vagas anuais – 40 vagas diurno e 50 vagas noturno


COORDENAÇÃO



Prof. Dr. Marcos Jacobovitz

Mestre e Doutor em Odontologia pela Faculdade de Odontologia de Araraquara-UNESP.
Pós Doutorado em Odontologia pela Universidade Hebraica de Jerusalem- Israel.

Currículo Lattes


OBJETIVOS



  • Habilitar os futuros profissionais, cirurgiões-dentistas, com conhecimentos biológicos e habilidades técnicas para prestação de serviços à população, prevenindo, diagnosticando, tratando e/ou encaminhando os portadores das doenças da boca e estruturas adjacentes aos cuidados especializados.

  • Atuar como agente de transformação da realidade social, no processo de saúde-doença, com capacidade para gestão e administração dos serviços de saúde e convivência com equipes multiprofissionais.

  • Formar o estudante com a mentalidade de prevenir as doenças e com capacidade de atuação crítica no gerenciamento dos serviços de saúde na comunidade.

  • Ensinar o estudante a executar com habilidade, técnicas específicas e tarefas inerentes ao exercício da Odontologia confrontando as questões teóricas com o resultado das experiências práticas e decidir o que de melhor convém ao seu paciente ou à sua comunidade.

  • Eletivamente, envolver os alunos em projetos de iniciação cientifica, que capacitarão futuramente o elo com a pesquisa, gestão e inovação na área odontológica.



COMPETÊNCIAS E HABILIDADES



Baseada na Lei nº 9131 de 25 de novembro de 1995 e na Resolução CNE/CES 3, de 19 de Fevereiro de 2002, que instituiu as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Odontologia, a formação do Cirurgião Dentista tem por objetivo dotar o profissional dos conhecimentos requeridos para o exercício das seguintes Competências e Habilidades Gerais e Específicas:

Atenção à saúde: os profissionais de saúde, dentro de seu âmbito profissional, devem estar aptos a desenvolver ações de prevenção, promoção, proteção e reabilitação da saúde, tanto em nível individual quanto coletivo. Cada profissional deve assegurar que sua prática seja realizada de forma integrada e continua com as demais instâncias do sistema de saúde, sendo capaz de pensar criticamente, de analisar os problemas da sociedade e de procurar solução para os mesmos.

Tomada de decisões: o trabalho dos profissionais de saúde deve estar fundamentado na capacidade de tomar decisões visando o uso apropriado, eficácia e custo-efetividade, da força de trabalho, de medicamentos, de equipamentos, de procedimentos e de práticas. Para este fim, os mesmos devem possuir habilidades para avaliar, sistematizar e decidir as condutas mais adequadas, baseadas em evidências científicas.

Comunicação: os profissionais de saúde devem ser acessíveis e devem manter a confidencialidade das informações a eles confiadas, na interação com outros profissionais de saúde e o público em geral. A comunicação envolve comunicação verbal, não verbal e habilidade de escrita e leitura; o domínio de pelo menos uma língua estrangeira e de tecnologias de comunicação e informação.

Liderança: no trabalho em equipe multiprofissional, os profissionais de saúde deverão estar aptos a assumirem posições de liderança, sempre tendo em vista o bem estar da comunidade. A liderança envolve compromisso, responsabilidade, empatia, habilidade para tomada de decisões, comunicação e gerenciamento de forma efetiva e eficaz;

Administração e gerenciamento: os profissionais devem estar aptos a fazer o gerenciamento e administração tanto da força de trabalho, dos recursos físicos e materiais e de informação, da mesma forma que devem estar aptos a serem empreendedores, gestores, empregadores ou lideranças na equipe de saúde; e Educação permanente: os profissionais devem ser capazes de aprender continuamente, tanto na sua formação, quanto na sua prática. Desta forma, os profissionais de saúde devem aprender a aprender e ter responsabilidade e compromisso com a sua educação e o treinamento/estágios das futuras gerações de profissionais, mas proporcionando condições para que haja benefício mútuo entre os futuros profissionais e os profissionais dos serviços.


Considerando estas competências e habilidades, de maneira prática, o cirurgião-dentista formado na UNICEP, deve ter:


  • capacitação técnico-científica para atender os diferentes níveis de atenção à saúde da população, propiciada pelo fortalecimento das interações entre as disciplinas básicas e profissionalizantes;

  • capacitação para atuar na comunidade, adequando seus conhecimentos acadêmicos à população e às condições do local onde irá exercer sua atividade;

  • desenvolvimento, de forma integrada com as demais instâncias do sistema de saúde, de ações capazes de diagnosticar, tratar, prevenir e reabilitar os problemas de saúde bucal da comunidade;

  • capacitação para assumir posições de liderança com compromisso e responsabilidade, visando o bem estar da comunidade;

  • capacitação para gerenciar, administrar, ser empreendedor, gestor e empregador;

  • capacitação para a realização dos procedimentos odontológicos de acordo com altos padrões de qualidade, tanto em nível individual quanto coletivo;

  • incorporação de ações condizentes com os princípios ético-legais da profissão e no respeito e valorização do ser humano, conscientizando de seu papel como profissional-cidadão;

  • conscientização da filosofia do curso em que se encontra inserido;

  • conscientização da necessidade constante de atualização de conhecimentos e aperfeiçoamento profissional;

  • capacitação ao exercício da investigação científica para avaliar, sistematizar e decidir as condutas mais adequadas, visando a eficácia de procedimentos;

  • habilidades de comunicação com o público e outros profissionais; de leitura e escrita; e de, no mínimo, a compreensão de uma língua estrangeira;

  • habilidades de incorporar inovações tecnológicas, como informática, novos materiais e biotecnologia, no exercício da profissão.



PERFIL DO EGRESSO



O curso projeta como perfil profissional para o egresso, cirurgião-dentista, ser um profissional generalista com competência para ser reflexivo, crítico, com base em valores humanistas, éticos e em saber técnico-científico, com habilidade profissional de estabelecer com o paciente uma relação de atendimento sensibilizado e comprometido, respeitando-o e valorizando-o, para interagir com outros profissionais da saúde, assim como, prestar cuidados resolutivos à comunidade, atendendo às necessidades do sistema de saúde nacional, com ênfase na prevenção de doenças bucais.

A habilitação para um a carreira com amplas possibilidades de escolha ao egresso, é também escopo do curso.


ESTRUTURA CURRICULAR



A estrutura curricular apresentada na matriz é resultado de estudo desenvolvido por um grupo multidisciplinar o desenvolvimento do Projeto Pedagógico do Curso.

A definição da carga horária das disciplinas da matriz curricular projeta as intenções das Diretrizes Curriculares Nacionais e permite adotar a competência como fundamento conceitual básico e atende as exigências legais da Resolução 2, de 18 de junho de 2007. A organização do horário do curso, durante os semestres letivos, prima em favorecer ao estudante espaços livres para atividades complementares (extensão, extraclasse, monitorias, pesquisas, entre outras). É organizado pela coordenação do curso com consulta prévia aos docentes relacionados à sua disponibilidade e adequação de todo o espaço físico a ser utilizado em cada semestre.

A estrutura curricular, de acordo com a legislação vigente, contempla a abordagem das temáticas relacionadas à educação ambiental, história e cultura afro-brasileira e indígena e relações étnico-raciais. A disciplina de Sociologia da Responsabilidade Social aborda, dentre os seus conteúdos, o tratamento de questões e temáticas referentes aos afrodescendentes (Parecer CNE/CP nº 03 de 10 de março de 2004); dessa forma promove o atendimento às Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação das Relações Étnico-raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro - brasileira e Africana (Resolução CNE/CP nº 01 de 17 de junho de 2004).

Na organização da estrutura curricular há a possibilidade de o estudante cursar optativamente a disciplina LIBRAS, nos termos da Lei 10.436, de 24 de abril de 2002, dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais, e Decreto n. 5.626, de 22 de dezembro de 2005, que regulamenta a Lei 10.436/2002 e artigo. 18 da Lei 10.098/2000.

A organização curricular do Curso de Bacharelado em Odontologia do UNICEP visa possibilitar que os conhecimentos teóricos básicos estejam entrelaçados e encadeados com os conhecimentos específicos de Odontologia. Assim, do primeiro ao último semestre decresce o número de disciplinas básicas e comuns e, aumenta o de específicas. Com essa organização da matriz curricular o Curso de Bacharelado em Odontologia segue a concepção de ensino institucional, sendo consolidada em um modelo pedagógico que prioriza a ação-reflexão-ação e a gestão participativa entre estudantes e docentes. As propostas didático-pedagógicas interligam o processo ensino/aprendizagem e visam o desenvolvimento das capacidades de pensar, planejar e executar atividades no mercado profissional.


Segundo o PDI, a prática acadêmica, favorece o desenvolvimento dos trabalhos educativos como estratégia de flexibilização nos seguintes pontos:


  • Na definição da natureza do trabalho acadêmico efetivo com base na duração da atividade acadêmica e do trabalho discente supervisionado e orientado pelo docente.

  • Na inclusão das atividades complementares como ações diversificadas para enriquecimento de conteúdos curriculares.


Na estrutura Curricular efetivou 2640 horas como competências específicas, aquelas capazes de assegurar a qualidade na formação de profissionais na compreensão e tradução das necessidades dos indivíduos, grupos sociais e comunidade com quem irão atuar, ficando assim definidas para o curso de Odontologia:


  • Conhecimento e atuação com padrão de qualidade e princípios legais, éticos e bioéticos.

  • Coordenação do trabalho da equipe de Odontologia.

  • Atuação em todos os níveis de atenção e assistência à saúde bucal, sensibilizado e comprometido com o ser humano individual e coletivamente.

  • Organização, manuseio e avaliação de recursos e informações de cuidados de saúde bucal efetiva e eficientemente.

  • Participação em investigações científicas sobre doenças e saúde bucal e preparo para aplicar os resultados de pesquisas para os cuidados de saúde.

  • Emissão de laudos, atestados, relatórios sobre matéria de Odontologia e, encaminhamento do paciente quando necessário.



CONTEÚDOS CURRICULARES



O curso se caracteriza por oito semestres no período diurno e 10 semestres no período noturno que se complementam a partir do eixo temático proposto para a formação de seus estudantes.

A estrutura curricular do Curso de Bacharelado em Odontologia é projetada para ofertar disciplinas que contemplam as ciências biológicas e da saúde, ciências humanas e sociais e ciências da odontologia; busca atender os objetivos e o perfil estabelecido para o curso, por meio dos conteúdos que se interligam em eixos de formação em conformidade com as Diretrizes Curriculares do curso de Odontologia. Os componentes curriculares relacionados ao processo saúde/doença do indivíduo, da família e da comunidade, integrada à realidade epidemiológica e profissional conduzem ao desenvolvimento de potencialidades profissionais que expressam condições para a efetiva conclusão do curso e subsequente colação de grau, desde que comprovada a indispensável integralização curricular no tempo útil fixado para o curso e permite visualizar linearmente as ações e os projetos interdisciplinares.



INFRAESTRUTURA DO CURSO



  • Laboratórios de Informática

  • Laboratório de Anatomia

  • Laboratório de Microscopia

  • Laboratório de Microbiologia

  • Laboratório/Clinica de Radiologia e Imaginologia

  • Laboratório Pré-Clínico

  • Clínicas Odontológicas

  • Biblioteca



ÁREA DE ATUAÇÃO



O espírito empreendedor lapida a capacidade de visualizar as informações sobre um novo foco e isto se faz necessário para quebrar os paradigmas que enclausuram a Odontologia no tecnicismo altamente cultuado há décadas. Até a década de oitenta, o profissional de Odontologia se via limitado à prática em clínicas ou consultórios particulares. Os custos, cada vez mais elevados, devido aos avanços tecnológicos da montagem de um consultório odontológico são fatores limitantes para a maioria dos profissionais em início de carreira. Dentro desse novo contexto, a opção adotada por muitos têm sido trabalhar em clínicas já estabelecidas no mercado ou com horários alugados em consultórios particulares, adiando a necessidade de investimentos volumosos no início da prática da profissão. Além disso, 80% da população trabalhadora recebem de um a três salários mínimos, não havendo condição de usufruir de saúde privada e os Cirurgiões-Dentistas existentes atuam apenas em direção aos 30% dos 160 milhões de habitantes que têm renda para consumir a saúde privada. Nesse sentido, o campo de trabalho para o Cirurgião-Dentista mostra-se promissor, visto que a condição de saúde bucal da população é precária e há crescente necessidade de Cirurgiões-Dentistas vinculados à projetos ou programas governamentais e no setor público nacional em geral. Portanto a inserção da Odontologia nos Programas de Saúde da Família do Ministério da Saúde abriu um novo horizonte no serviço público. Hoje, existe em torno de 25.000 Cirurgiões-Dentistas no SUS, o que é insuficiente, evidenciando a possibilidade de crescimento no segmento público. Concursos públicos para ingressar em instituições como as Forças Armadas (Marinha, Exército e Aeronáutica), Polícia Militar e Corpo de Bombeiros também são uma opção atrativa para profissionais recém lançados no mercado. Outra tendência do mercado é o oferecimento de planos de saúde Odontológico, seguindo os passos da Medicina. Assim, temos cada vez mais profissionais atuando em redes credenciadas de saúde. A competitividade acirrada e a velocidade acelerada com que novos conhecimentos são gerados exigem que o profissional se atualize constantemente, tornando os cursos de pós-graduação uma necessidade para os interessados em vencer na profissão. A carreira acadêmica também tem se tornado uma opção atrativa para o Cirurgião-Dentista, seja para atuar como professor de Ensino Superior ou como pesquisador. O profissional de Odontologia do futuro também deve estar preparado para atuar como administrador ou consultor de organizações públicas ou privadas que prestam atendimento Odontológico e até mesmo para trabalhar nas indústrias ligadas à produção e distribuição de materiais odontológicos, cada vez mais fortes no país. Como podemos observar, o aspecto financeiro não deve ser o motivo principal para a escolha da Odontologia, pois existe um leque muito grande de atuação e desenvolvimento profissional em prol da saúde.


De acordo com a Lei 5081 de 24 de agosto de 1966, com as alterações da Lei 6215, de 30/06/1975, que regula o exercício da Odontologia, atribuem no seu Art. 6 as competências do Cirurgião-Dentista:

I - praticar todos os atos pertinentes à Odontologia, decorrentes de conhecimentos adquiridos em curso regular ou em cursos de pós-graduação; adquiridos em curso regular ou em cursos de pós-graduação;
II - prescrever e aplicar especialidades farmacêuticas, de uso interno e externo, indicadas em Odontologia;
III - atestar, no setor de sua atividade profissional, estados mórbidos e outros, inclusive para justificação de faltas ao emprego;
IV - proceder à perícia odontolegal em foro cível, criminal, trabalhista e em sede administrativa;
VII - manter anexo ao consultório, laboratório de prótese, aparelhagem e instalação adequadas para pesquisa e análises clínicas, relacionadas com os casos específicos de sua especialidade, bem como aparelhos de raios X para diagnóstico;
VIII - prescrever e aplicar medicação de urgência nos casos de acidentes graves que comprometam a vida e a saúde do paciente.
IX - utilizar no exercício da função de perito Odontólogo, em caso de necropsia, as vias de acesso do pescoço e da cabeça.


O Cirurgião-Dentista poderá exercer as seguintes especialidades reconhecidas pelo Conselho Federal de Odontologia:


  • Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial;

  • Dentística;

  • Disfunção Têmporo - mandibular e Dor Orofacial;

  • Endodontia;

  • Odontologia Legal;

  • Odontologia em Saúde Coletiva;

  • Odontopediatria;

  • Odontologia do Trabalho;

  • Odontogeriatria;

  • Ortodontia;

  • Ortopedia Funcional dos Maxilares;

  • Patologia Bucal;

  • Periodontia;

  • Prótese Bucomaxilofacial;

  • Prótese Dentária

  • Radiologia Odontológica e Imaginologia;

  • Implantodontia;

  • Estomatologia;

  • Odontologia para pacientes com necessidades especiais




2017 - Unicep São Carlos - Rua Miguel Petroni, 5111 - CEP: 13563-470 - Fone: (16) 3362-2111 | Whatsapp Vestibular: (16) 99608-3111