ÁREA DE ATUAÇÃO



O espírito empreendedor lapida a capacidade de visualizar as informações sobre um novo foco e isto se faz necessário para quebrar os paradigmas que enclausuram a Odontologia no tecnicismo altamente cultuado há décadas. Até a década de oitenta, o profissional de Odontologia se via limitado à prática em clínicas ou consultórios particulares. Os custos, cada vez mais elevados, devido aos avanços tecnológicos da montagem de um consultório odontológico são fatores limitantes para a maioria dos profissionais em início de carreira. Dentro desse novo contexto, a opção adotada por muitos têm sido trabalhar em clínicas já estabelecidas no mercado ou com horários alugados em consultórios particulares, adiando a necessidade de investimentos volumosos no início da prática da profissão. Além disso, 80% da população trabalhadora recebem de um a três salários mínimos, não havendo condição de usufruir de saúde privada e os Cirurgiões-Dentistas existentes atuam apenas em direção aos 30% dos 160 milhões de habitantes que têm renda para consumir a saúde privada. Nesse sentido, o campo de trabalho para o Cirurgião-Dentista mostra-se promissor, visto que a condição de saúde bucal da população é precária e há crescente necessidade de Cirurgiões-Dentistas vinculados à projetos ou programas governamentais e no setor público nacional em geral. Portanto a inserção da Odontologia nos Programas de Saúde da Família do Ministério da Saúde abriu um novo horizonte no serviço público. Hoje, existe em torno de 25.000 Cirurgiões-Dentistas no SUS, o que é insuficiente, evidenciando a possibilidade de crescimento no segmento público. Concursos públicos para ingressar em instituições como as Forças Armadas (Marinha, Exército e Aeronáutica), Polícia Militar e Corpo de Bombeiros também são uma opção atrativa para profissionais recém lançados no mercado. Outra tendência do mercado é o oferecimento de planos de saúde Odontológico, seguindo os passos da Medicina. Assim, temos cada vez mais profissionais atuando em redes credenciadas de saúde. A competitividade acirrada e a velocidade acelerada com que novos conhecimentos são gerados exigem que o profissional se atualize constantemente, tornando os cursos de pós-graduação uma necessidade para os interessados em vencer na profissão. A carreira acadêmica também tem se tornado uma opção atrativa para o Cirurgião-Dentista, seja para atuar como professor de Ensino Superior ou como pesquisador. O profissional de Odontologia do futuro também deve estar preparado para atuar como administrador ou consultor de organizações públicas ou privadas que prestam atendimento Odontológico e até mesmo para trabalhar nas indústrias ligadas à produção e distribuição de materiais odontológicos, cada vez mais fortes no país. Como podemos observar, o aspecto financeiro não deve ser o motivo principal para a escolha da Odontologia, pois existe um leque muito grande de atuação e desenvolvimento profissional em prol da saúde.


De acordo com a Lei 5081 de 24 de agosto de 1966, com as alterações da Lei 6215, de 30/06/1975, que regula o exercício da Odontologia, atribuem no seu Art. 6 as competências do Cirurgião-Dentista:

I - praticar todos os atos pertinentes à Odontologia, decorrentes de conhecimentos adquiridos em curso regular ou em cursos de pós-graduação; adquiridos em curso regular ou em cursos de pós-graduação;
II - prescrever e aplicar especialidades farmacêuticas, de uso interno e externo, indicadas em Odontologia;
III - atestar, no setor de sua atividade profissional, estados mórbidos e outros, inclusive para justificação de faltas ao emprego;
IV - proceder à perícia odontolegal em foro cível, criminal, trabalhista e em sede administrativa;
VII - manter anexo ao consultório, laboratório de prótese, aparelhagem e instalação adequadas para pesquisa e análises clínicas, relacionadas com os casos específicos de sua especialidade, bem como aparelhos de raios X para diagnóstico;
VIII - prescrever e aplicar medicação de urgência nos casos de acidentes graves que comprometam a vida e a saúde do paciente.
IX - utilizar no exercício da função de perito Odontólogo, em caso de necropsia, as vias de acesso do pescoço e da cabeça.


O Cirurgião-Dentista poderá exercer as seguintes especialidades reconhecidas pelo Conselho Federal de Odontologia:


  • Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial;

  • Dentística;

  • Disfunção Têmporo - mandibular e Dor Orofacial;

  • Endodontia;

  • Odontologia Legal;

  • Odontologia em Saúde Coletiva;

  • Odontopediatria;

  • Odontologia do Trabalho;

  • Odontogeriatria;

  • Ortodontia;

  • Ortopedia Funcional dos Maxilares;

  • Patologia Bucal;

  • Periodontia;

  • Prótese Bucomaxilofacial;

  • Prótese Dentária

  • Radiologia Odontológica e Imaginologia;

  • Implantodontia;

  • Estomatologia;

  • Odontologia para pacientes com necessidades especiais