Engenharia Agronômica

O CURSO

O Curso Bacharelado em Engenharia Agronômica foi autorizado pela Resolução CONSEPE 005, de 21 de junho de 2013, com base na autonomia universitária prevista no artigo 28 do Decreto nº. 5.773, de 09/05/2006, alterado pelo artigo 40, da Seção VIII-da Autorização de Cursos, do Decreto nº. 9.235, de 15/12/2017.

Duração: 4,5 anos Diurno e 5 anos Noturno
Numero de Vagas: 60 (Diurno e Noturno)


Dados Gerais

Legislações referentes ao curso DCNs – Pareceres e Resoluções

Parecer CNE/CES nº 306, de 7 de outubro de 2004

Resolução CNE/CES nº 1, de 2 de fevereiro de 2006

Legislações que regula a profissão que o curso habilita a exercer

Lei Nº 5194 (24/12/1966)

Lei Nº 6619 (16/12/1978)

Lei Nº 8195 (26/06/1991)

 

OBJETIVOS DO CURSO

O curso de Engenharia Agronômica dessa instituição está inserido em um cenário agrícola de grande expressão na região central do Estado de São Paulo. A região conta com grande extensão cultivada com cana-de-açúcar, pastagens, citros, eucalipto, culturas temporárias, frutas e hortaliças, além de possuir extensa área com mata natural.

Portanto, o curso tem como pressupostos essenciais o compromisso de atuar no contexto socioeconômico e político nacional, formar profissionais e cidadãos comprometidos com os interesses e desafios da sociedade contemporânea e capaz de acompanhar a evolução científica e tecnológica da sua área de atuação, mantendo adequado padrão de ética profissional, conduta moral e respeito ao ser humano.

 

COORDENAÇÃO

O curso de Engenharia Agronômica conta em sua coordenação com os trabalhos da Professora Dra Cristiana de Gaspari Pezzopane. A coordenadora possui graduação em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal de Lavras (1999), mestrado em Agricultura Tropical e Subtropical (2003), pelo Instituto Agronômico de Campinas (IAC), doutorado em Fitotecnia (2008) pela Escola Superior de Agricultura Luis de Queiroz (ESALQ/USP) e pós doutorado (2011-2016) pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA).

A produção científica da coordenadora consta em seu Curriculum Lattes (http://lattes.cnpq.br/9964845948227889).

E-mail: cristiana.gaspari@gmail.com
Fone: 16 3362-2111

ENTRE EM CONTATO COM A COORDENAÇÃO E TIRE SUAS DÚVIDAS.

 

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

De acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais (Resolução N. 1 de 2 de fevereiro de 2006) o Engenheiro Agrônomo terá habilidade e credenciamento para promover realizações de interesse social e humano, tais como:

Planejar, projetar, coordenar, analisar, fiscalizar, assessorar, supervisionar e especificar técnica e economicamente, projetos agroindustriais e do agronegócio, aplicando padrões, medidas e controle de qualidade;

Realizar vistorias, perícias, avaliações, arbitramentos, laudos e pareceres técnicos, com condutas, atitudes e responsabilidade técnica e social, respeitando a fauna e a flora e promovendo a conservação e/ou recuperação da qualidade do solo, do ar e da água, com uso de tecnologias integradas e sustentáveis do ambiente;

Atuar na organização e gerenciamento empresarial e comunitário, interagindo e influenciando nos processos decisórios de agentes e instituições, na gestão de políticas setoriais;

Produzir, conservar e comercializar alimentos, fibras e outros produtos agropecuários;

Participar e atuar em todos os segmentos das cadeias produtivas do agronegócio;

Exercer atividades de docência, pesquisa e extensão no ensino técnico profissional, ensino superior, análise experimentação, ensaios e divulgação técnica e extensão;

Enfrentar os desafios das rápidas transformações da sociedade, do mundo, do trabalho, adaptando-se às situações emergentes.

Portanto, o engenheiro agrônomo é aquele que estuda, compreende e acompanha os processos produtivos, a partir da semente até o cálculo dos estoques de produtos. Esse profissional estuda as melhores maneiras de se preparar o solo, de combater as doenças e pragas e de armazenar a produção. Essa formação o habilita a atuar nas diversas áreas da produção agrícola (pequenas e grandes plantações, produção familiar e não-familiar) e em várias outras atividades, como irrigação, topografia, beneficiamento e armazenamento de grãos, defesa sanitária vegetal, no processamento de produtos agrícolas, alimentos, nutrição animal, melhoramento genético e biotecnologia, e nas vertentes demandadas pelo espaço urbano. Além de atuar ativamente no agronegócio.

Matriz Curricular Vigente

 

CONTEÚDOS CURRICULARES

Com base na Resolução CNE/CES, 01, de 02/02/2006, que Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Engenharia Agronômica ou Agronomia e dá outras providências, a Estrutura Curricular, do curso de Graduação em Engenharia Agronômica, o curso de Engenharia Agronômica do UNICEP, distribui em três núcleos os conteúdos curricularess: Núcleo de Conteúdos Básico, composto dos campos de saber que forneçam o embasamento teórico necessário para que o futuro profissional possa desenvolver seu aprendizado; Núcleo de Conteúdos Profissionais Essenciais, composto por campos de saber destinados à caracterização da identidade do profissional. O agrupamento desses campos gera grandes áreas que caracterizam o campo profissional e agronegócio, integrando as subáreas de conhecimento que identificam atribuições, deveres e responsabilidades; Núcleo de Conteúdos Profissionais Específico, constituído das disciplinas visando a contribuir para o aperfeiçoamento da habilitação profissional do formando com objetivo de atender às peculiaridades locais e regionais e o PPI.

 

ESTRUTURA CURRICULAR

A matriz curricular proporciona ao estudante uma formação consistente, com uma profunda inter-relação entre os conhecimentos resultantes das diversas atividades. Além das disciplinas oferecidas pelo curso, são de caráter obrigatório o desenvolvimento de  atividades complementares, que visam a formação do profissional que não são cobertas pelas disciplinas regulares do curso; o Trabalho de Conclusão do Curso, que tem por objetivo integrar os diversos conhecimentos do curso em um estudo mais amplo e aprofundado ligado a formação desejada do egresso e sempre, obrigatoriamente, orientado por um docente do curso; o Estágio Supervisionado, etapa essencial e obrigatória da formação do estudante, tendo como a familiarização do estudante com o ambiente profissional que o mesmo se deparará na sua vida profissional, integrando o conhecimento adquirido com a atuação profissional; disciplinas Optativas, oferecido um elenco de disciplinas optativas, nas quais a disciplina de Libras é obrigatória. O estudante deve, também, com aprovação da Coordenação escolher disciplinas de seu interesse profissional oferecidas em outros cursos oferecidos pelo UNICEP.

 

INFRAESTRUTURA DO CURSO

Para atender o curso de Engenharia Agronômica, a instituição disponibiliza as infraestruturas:

- Laboratórios de Microscopia

- Laboratório de Fitossanidade e Botânica

- Laboratório de Preparo de Solos e Sementes

- Laboratório de Microbiologia e Imunologia

- Laboratório de Anatomia Veterinária

- Casa de Vegetação e Área de Cultivo

- Laboratório de Técnica Dietética/Tecnologia de Alimentos/Cozinha Dietética

- Estação Meteorológica

- Laboratório de Mecânica dos Solos

- Laboratório de Topografia

- Laboratório de Hidráulica

- Laboratório de Análises e Fertilidade de Solos

- Laboratório de informática

- Sítio Universitário

 

PERFIL PROFISSIONAL DO EGRESSO

Compromisso da UNICEP com a sociedade é formar um profissional com formação permeada pela ética, associada a uma sólida formação técnica, indispensável ao exercício da Agronomia. Profissionais capazes de contribuir para o desenvolvimento da ciência e da tecnologia comprometidos com a construção de uma sociedade justa, equilibrada e auto-sustentável. Para garantir esse perfil, o futuro Engenheiro Agrônomo terá formação multidisciplinar, baseada em aulas teóricas e práticas que atendem às atuais exigências curriculares.

O Engenheiro Agrônomo formado pelo curso deverá ter suas atividades norteadas pelos princípios de respeito à fauna e à flora; na conservação e recuperação da qualidade do solo, do ar e da água, no uso racional e sustentável do ambiente; no emprego do raciocínio reflexivo, crítico e criativo e no atendimento das expectativas técnicas, humanas e sociais.

Para que todas estas qualidades do egresso sejam adquiridas ao longo do curso, a UNCEP conta com uma sólida formação teórica e prática para os seus alunos, dessa forma, os formandos terão o seguinte perfil:

Detentor de sólida formação científica e tecnológica, integrada à prática social e profissional comprometida com o processo de desenvolvimento sustentável.

Sólidas formações básicas, científicas e tecnológicas, que permitam desenvolver e absorver tecnologias.

Capacidade de se adaptar a várias funções na sua área de atuação profissional e ter consciência de que a sua formação profissional requer atualização continuada.

Capacidade crítica e criativa na identificação e resolução de problemas, considerando seus aspectos políticos, econômicos, sociais, ambientais e culturais, com visão ética e humanística, em atendimento às demandas da sociedade.

Capacidade de tomar decisões técnicas e administrativas em empresas, cooperativas, associações e em outras formas de organização econômica e social.

Capacitado para, criticamente, assimilar e empregar como referências novas tecnologias e conceitos científicos, promovendo intervenções e inovações nos setores do agronegócio, da pecuária e da agroindústria.

Compreensão e tradução das necessidades de indivíduos, grupos sociais e comunidade, com relação aos problemas tecnológicos, socioeconômicos, gerenciais e organizativos, bem como utilização racional dos recursos disponíveis, além da conservação do equilíbrio do ambiente.

Espírito empreendedor, senso ético e capacidade de trabalhar em equipe.

Capacidade de valorizar e respeitar o meio ambiente.

Capacidade de adaptação, de modo flexível, crítico e criativo, às novas situações.

Sensível em relação aos problemas agrários e agrícolas, tendo em vista a qualidade de vida das comunidades rurais.

 

O SÍMBOLO DA AGRONOMIA

O símbolo da agronomia é composto por seis “A”. Estes “A” representam as Associações de Engenheiros-Agrônomos dos Estados filiados à FAEAB, mostrando no seu conjunto a união das mesmas nas soluções dos problemas das Associações, dos Agrônomos, da Agronomia, da Agricultura, da Agropecuária e da Agroindústria.

Fonte : FEAB


 

ATIVIDADES COMPLEMENTARES

De acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais para cursos de Engenharia Agronômica, “as atividades complementares” são componentes curriculares que possibilitam por avaliação, o reconhecimento de habilidades, conhecimentos, competências e atitudes do aluno, inclusive adquiridos fora do ambiente acadêmico (DCNs, 2006, p.4). De acordo com esse documento, essas atividades podem ser: projetos de pesquisa, monitoria, iniciação científica, projetos de extensão, módulos temáticos, seminários, simpósios, congressos, conferências e até disciplinas oferecidas por outras instituições de ensino.

Essas atividades complementares podem ser realizadas em qualquer período do curso, pois um dos seus objetivos é também permitir a interação dos estudantes com as diversas áreas de atribuição dos profissionais da área durante a maior parte de sua graduação. O regulamento das atividades complementares está descrito no link abaixo:


Regulamento das Atividades Complementares

 

ESTÁGIO SUPERVISIONADO

A formação profissional do aluno deverá ainda ser obrigatoriamente complementada através da sua participação em um Estágio Curricular, cuja orientação e supervisão estarão a cargo de um docente do próprio curso, que deverá ser especialmente designado para tanto por uma decisão conjunta do seu Departamento acadêmico e da Coordenação do Curso de Engenharia Agronômica da UNICEP. É de fundamental importância que o estudante participe de pelo menos um estágio, que lhe permita vivenciar situações com as quais, muitas vezes, ele somente tomou ou tomará contato a partir da narração de experiências de terceiros. A experiência tem mostrado que o aluno só irá assimilar satisfatoriamente determinados conteúdos e tomar determinadas iniciativas quando estiver vivenciando situações em que consiga controlar e junto às quais possa intervir efetivamente. A carga horária do Estágio Curricular deverá ser de 165 horas, correspondente a 198 horas-aula. A sua realização poderá ser feita em instituições de ensino, pesquisa e extensão ou em empresas, públicas e privadas.


O roteiro, as normas e demais instruções para a realização do estágio supervisionado estão nos links abaixo:

 

14º WORKSHOP TCC - 2018

 

 

Você também pode!

Possibilita que o aluno financie seu curso SEM JUROS! Pagando metade do valor das mensalidades enquanto estuda, e a outra metade depois que se formar.

Programa do MEC destinado a financiar a graduação no Ensino Superior de estudantes que não têm condições de arcar com os custos de sua formação, regularmente matriculados em instituições particulares cadastradas no Programa e com avaliação positiva nos processos conduzidos pelo MEC. *Exceto Curso de Odontologia.

Tem como finalidade a concessão de bolsas de estudo integrais e parciais, a estudantes de cursos de graduação e sequenciais de formação específica, em instituições privadas de educação superior. *Exceto Curso de Odontologia.

Programa do Governo do Estado de São Paulo, que concede bolsa integral a alunos matriculados nas IES em troca de trabalho nas escolas estaduais aos finais de semana. *Exceto Curso de Odontologia.

O programa visa a apoiar os alunos que apresentam carência sócio-econômica e disponibilidade para prestar serviços em diversos setores da instituição. O aluno recebe uma bolsa estudo/estágio na UNICEP, sem prejuízo de suas atividades acadêmicas. O termo de compromisso é válido por seis meses, podendo ser renovado de acordo com a indicação e/ou solicitação do setor assistido. *Exceto Curso de Odontologia.

Desconto concedido a alunos com um ou mais irmãos ou parentes de 1º Grau ou cônjuges, matriculados na Instituição, desde que o pagamento da mensalidade seja efetuado até a data do vencimento. *Exceto Curso de Odontologia.

Seleção por meio de prova elaborada por professor da área. O aluno com o melhor aproveitamento na prova é selecionado para dar monitoria na disciplina, cumprindo uma carga horária de 10 horas semanais. (Exigência: o aluno deve ter cursado e sido aprovado na disciplina). *Exceto Curso de Odontologia.

A UNICEP mantém convênio com várias empresas e órgãos públicos da região com intuito de beneficiar os colaboradores e funcionários de tais instituições concedendo descontos nas mensalidades. Consulte-nos para saber se a empresa ou órgão público em que trabalha possui convênio conosco e aproveite esta oportunidade. *Exceto Curso de Odontologia.

TRANSFERÊNCIA: Você que está estudando em outra instituição de ensino superior e está em dia com suas mensalidades, tem a possibilidade de transferir seu curso para UNICEP pagando o mesmo valor que está pagando na outra IES ou obter desconto de até 30% nas mensalidades. (sujeito à análise de vagas, documentação acadêmica e comprovação do valor da mensalidade). *Exceto Curso de Odontologia.

A UNICEP concede bolsas parciais de 50% de desconto para alunos graduados em universidades públicas e para egressos da própria UNICEP e, de 30% para egressos de outras instituições de ensino superior privadas, que desejarem cursar sua 2ª graduação conosco. (Válidos para ingressantes em 2017). *Exceto Curso de Odontologia.

Será concedido automaticamente desconto nas mensalidades até o final do curso para os alunos que se matricularem em cursos superiores relacionados pela UNICEP no início de cada ano, de acordo com demandas específicas. Caso tenha interesse, entre em contato conosco e obtenha a relação dos cursos e descontos previstos. *Exceto Curso de Odontologia.

A UNICEP concede desconto de até 40% para alunos que participam de competições esportivas, de âmbito nacional, profissionalmente (Federados - mediante comprovação). *Exceto Curso de Odontologia.

 

SETOR DE RELACIONAMENTO DISCENTE


Esgotadas todas as possibilidades citadas acima, o SETOR DE RELACIONAMENTO DISCENTE, após receber as solicitações de desconto, considerando a carência econômica e o desempenho acadêmico do aluno realiza uma análise e apresenta parecer para a Mantenedora, que poderá conceder descontos no valor da mensalidade de até 30%. Semestralmente a UNICEP fixará edital com a quantidade de bolsas parciais a serem concedidas, de acordo com os cursos e turmas em andamento, bem como cronograma estabelecido para o processo de concessão.
Para renovação do benefício o aluno não poderá ter qualquer dependência acadêmica.

OBS.: Os benefícios não são cumulativos. Preponderará o maior desconto.

Para mais informações:

Setor de Relacionamento Discente
Telefone: (16) 3362-2111 ramal 2118
Secretaria